quinta-feira, 16 de outubro de 2008

"Seduza e destrua"

Tom Cruise no filme Magnólia: "seduce and destroy"


Eu demorei para escrever este texto, mas parece que o tempo serviu para me dar mais exemplos. É mera coincidência ou está na moda os ex-namorados (ou pretendentes não correspondidos) se revoltarem contra as mulheres e agirem contra a integridade física, moral e emocional delas?

O caso explícito mais recente é o do "ex" que sequestrou uma garota de 15 anos em Santo André (SP) e ainda não houve desfecho para o problema. A reivindicação: que ela volte a namorá-lo!!! Claaarooo, que mal há em voltar a namorar o rapaz que apontou uma arma para sua cabeça?! Se não fosse trágico seria cômico.

Até agora eu não entendo como uma atitude dessas poderia ajudá-lo a reatar o namoro que ele mesmo terminou e, um mês depois, se arrependeu. Quando tentou reatar o relacionamento, recebeu um NÃO, perdeu a cabeça, e está prestes a perder muito mais coisas.

Pouco tempo atrás, o caso foi logo ali na Faculdade de Letras da UFMG. Um cadeirante atirou contra uma ex-professora dele (pela qual ele estaria apaixonado) e logo depois se matou. A moça não teve ferimentos no corpo, mas é muito provável que a alma tenha sido fortemente machucada.

Infelizmente não são todos os casos em que a mulher sai ilesa. Lembro do caso em que o ex-namorado matou a "amada" a tiros e as imagens foram captadas por uma câmera de circuito interno de TV. CHOCANTE!

E esse novo caso de uma estudante de medicina encontrada por pescadores no Rio Grande, em São Paulo?! O suspeito é o ex-namorado, mais uma vez. Nem vou perder mais tempo com exemplos. A internet está cheia deles.

E é aí que eu pergunto: O que está acontecendo com os homens? Não são todos, claro. Pra ser sincera, é uma mínima parte de desequilibrados que tomam decisões como estas. Mas o que mais me choca e me faz pensar é que eu nunca vi uma notícia desse calibre em que a mulher tivesse sido a autora do crime! Que será isso? Ainda somos propriedades dos homens? Meras serviçais? Escravas para sempre, sem direito a carta de alforria? Será que voltamos ao tempo das cavernas, em que os machos garantiam suas fêmeas com uma paulada na cabeça e uns puxões de cabelo (e ai daquela que ousasse recusar)?

De relacionamentos falidos o mundo está cheio, amores não correspondidos... ihhh... está assim ó! Só que, para mim, amor que machuca, que maltrata, que mata, sequestra, bate, tortura, não é amor, é doença! Infelizmente, uma doença que há poucas décadas era considerada como "defesa da honra" e, ao que parece, continua sendo considerada como tal por alguns poucos, mas que ainda causam grandes estragos. Excesso de testosterona? Desequilíbrio mental? Culpa da mãe? Falta de instrução? Criação violenta? Ahhh... as razões podem ser todas, ou nenhuma. Sinceramente, não acho que esses casos aceitam desculpas. Nem hoje, nem no tempo das cavernas.

5 comentários:

  1. Lu, eu também me pergunto sobre isso... quando é que amor virou sinônimo de loucura? Matou por amor? Me poupe! Conta outra! Quem ama de verdade quer o bem do outro, faz tudo para o bem do outro e caso não seja correspondido sabe renunciar por amor. Esse povo é desequilibrado e quer dizer que ama... se isso é amor, é melhor que eles nunca amem ninguém!

    ResponderExcluir
  2. oláa, lu
    demorei pra comentar d novo, né, mas to sempre entrando por aqui

    q bom q cs vieram 6ª e quanto ao seu post, concordo com cada palavra. e com o ruleandson sobre o desequilibrio d umas pessoas. mas é o mal do século, né...

    bjs

    ResponderExcluir
  3. oi, Luluzilda!
    Que amor suicida é esse que não consegue se controlar, que se coloca acima da pessoa amada?? Concordo tbm com o Ru aí em cima! São os homens que não sabem lidar e ficam loucos com a perda da propriedade, com a emancipação das mulheres! ah, e olha uma manchete de ontem no Hoje em Dia (excelente jornal né?!): "Lavrador atira em ex-namorada" (estavam de casamento marcado, ela - grávida - terminou tudo e ele endoideceu).
    Beijão, linda, continua escrevendo!

    ResponderExcluir
  4. Nada disso tem explicação. Como você disse, não é de se generalizar. Mas realmente,a violência contra mulheres em casos passionais ou não, continua a existir. A Lei Maria da Penha está para ser comentada epla mídia, para servir como processo contra apresentadores que cometem um erro ínfimo, para mostrar que as mulheres precisam conquistar ujm direito que deveria nascer com elas, e, é claro, para não dar em nada como 92% das leis de nosso país. Mas o amor é cego, e em alguns casos, autista. Não percebe que algumas atitudes não vão dar em nada. Parece que há uma chance daquela merda dar em um final romantico e feliz para sempre.

    Daí tem o caso da Eloá (que apesar de não ser nada exclusivo, foi o amis difundido pela mídia), em que o único final que seria o "felizes para sempre", seria uma tiro bem dado na cabeça do "cabra" (que eu até esqueci o nome), como seria feito em qualquer ouro lugar do mundo.

    ResponderExcluir
  5. Gostei muito do seu blog, muito rico. Sou sua seguidora, pois sigo coisas enriquecedoras. Bjs

    ResponderExcluir